S02-03

S02-03

A Queda do Império Facebook: uma análise sobre os motivos que levam ao afastamento da rede social

A irrupção das novas tecnologias da informação dentro da nossa vida quotidiana abriu caminhos surpreendentes nas maneiras de organizarmos a sociabilidade, formação, profissão, assim como na (auto)perceção e cognição espaciotemporal. Essas irrupções correspondem a uma mediamorfose assente na convergência dos media digitais, onde os dispositivos móveis e as Apps de redes sociais protagonizam a produção e consumo da comunicação online.
Neste cenário destaca-se a emergência do Facebook, uma rede social que possui atualmente mais de 2 bilhões de utilizadores. O facto de o Facebook apresentar versões para dispositivos móveis garante o acesso em qualquer momento ou local com internet, tornando o sujeito um nó de solicitações e notificações criadoras de expetativas sociais e inúmeras distrações visadas à captura da atenção por parte da rede social. Tal condição, todavia, gera uma sensação de repetida e intermitente frustração.
Nesse sentido, nos últimos tempos muitos estudos se realizaram para testar as implicações psicossociais dum uso excessivo desses dispositivos em permanente conexão, nomeadamente, se comprovaram alguns efeitos negativos da dependência do Facebook, como a diminuição da autoestima e efeito burnout. Neste contexto, apesar de ter um número extraordinário de utilizadores, o Facebook tem apresentado um declínio na quantidade de abertura de contas, no número de compartilhamentos e nas atualizações pessoais.
Assim, este artigo tem o objetivo de analisar e interligar os estudos mais recentes sobre o “cansaço” e “afastamento” do Facebook e apresentar os resultados de um inquérito online que coletou a opinião de 59 pessoas de diversas idades sobre o rompimento com a rede social. Entre os principais motivos estão a insatisfação com conteúdos, preocupações com a privacidade e consumo excessivo de tempo. A resposta de pessoas de diferentes nacionalidades permitiu concluir que tal ocorrência é independente da cultura de pertença, assim como não foram encontradas diferenças entre os motivos relatados entre homens e mulheres.

Palavras-chave: Smartphone; Práticas Digitais; Captura da Atenção; Cansaço Digital; Afastamento do Facebook

Firmantes

Nombre Adscripcion Procedencia
Vania Baldi Universidade de Aveiro, Departamento de Comunicação e Arte, Digital Media and Interaction Research Centre Portugal
Eliza Ribeiro de Oliveira Universidade de Aveiro, Departamento de Comunicação e Arte, Doutoranda em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais Portugal

ORGANIZA

COLABORA